PERFORMANCE

A MÁGICA DO DESAPARECIMENTO

Beatriz Ri (SP)

Número de palhaçaria feminina, onde Gelsomina Siriema, conhecedora das técnicas milenares do pompoarismo, faz aparecer e desaparecer “coisas”.

ALGO TÃO DOCE

Flora Bulcão (RJ)

Reverberando a mulher-objeto-alimento-coisa-virgem-puta na sociedade, a performer oferece algodão-doce e pergunta sobre amargas lembranças de suas vidas.

DOLORES

Érica Rodrigues (DF)

Ela quer tirar a roupa, ela quer ser o centro das atenções. A palhaça Dolores resolve propor ao público uma brincadeira: ser rotulada.

EMBRANQUECIMENTO

Maria Cândida Portugal (RJ)

Perfomance através da experiência de vida da atriz, embranquecida através de um sistema de aprisionamento estrutural e o redescobrimento de suas origens.

MADAME FRODA EM MÚSICA CLÁSSICA

Ana Luíza Bellacosta (DF)

Madame Froda, vive uma musicista desconhecida nacionalmente e internacionalmente, fará sua primeira apresentação em público. Boa sorte e não estrague tudo.

MANEIRAS DE SE TOCAR 2020

Amanda Gouveia e Anna Janot (RJ)

Com a necessidade de presentificar o movimento e o viver, as artistas descobrem, através da união de linguagens, maneiras de se tocar. O que te toca?

MARIA DA …

Savina João (PI)

Cozinhando para mulheres uma "Maria Isabel", a performer Savina João transformará as dores de um assédio em almoço de domingo.

MARIAS

Milah Coutinho (RJ)

Projeto teatral do grupo arreTadas que retrata a história de Maria. Uma guerreira, nordestina da gema e lutadora que inspira com sua história de força.

MAXANARIA

Amanda Lebeis, Carla Ferraz, Cláudia Martins, Débora Paganni, Dulce Penna, Julia Gorman, Julia Shimura, Natália Lebeis,
Paula Valente, Thai Halfed, Vê Carvalho (RJ)

Artistas em isolamento social inventam processos criativos misturando bruxaria, estética drag, música, narrativas autorais e liberdade das corpas.

MECÂNICA

Nailanita Prette (MG)

Crítica ao sistema capitalista e machista que nos impõe a seguir determinados padrões de beleza e consumo, aprisionando a mulher a um modelo ideal.

OLHO GORDA

Aurora Eyer (RJ)

Num universo de cores quentes onde tudo é comida, a artista vai comer sem parar todos os tipos de junk-food de forma extravagante.

PARTO

Dani Câmara, Isadora Krummenauer, Karla Muniz, Laura Nielsen, Natasha Corbelino, Paula Furtado e Sara Hana (RJ)

7 Artistas partilham experimentos cênicos sobre suas sonoridades e partituras do feminino atravessadas pela quarentena e por modos tecnológicos.

PERSEGUIDA

Allegra Ceccarelli (RJ)

Uma Deusa esquecida. Uma outra demonizada. Unidas, elas gooooooozam da (na) cara do patriarcado.

POR FAVOR, PODE ME CONCEDER 5 MIN DE ALEGRIA?

Ana Luísa Cardoso/ Margarita Palhaça (DF)

Por favor, pode me conceder 5 meses? Só, 5 minutos! Como palhaça sei que Alegria só existe compartilhada. Desta vez peço a alguém me fazer rir.

QUATRO LUAS

Ana Beatriz Pestana e Stéphanie Alves (RJ)

Um convite à desaceleração do tempo, à saudação das fases da lua e à conexão com as sensações dos corpos durante os ciclos de criação e reconstrução.

TRÍADA PARA AFIAR INTUIÇÕES

Mariana Queiroz (RJ)

Como afiar intuições? Vamos experimentar uma roda-virtual online de trocas através de três jogos-rituais: Triângulos de OcupAção, Trinca de Si e Trilha de Conselhos. Ritualizar nosso encontro. Traga si mesma, lápis e papel!

VOZES

Luma Antunes (SP)

Performance busca através do corpo, retratar o silêncio feminino e propor à Mulher o seu lugar de Fala.